Notícias
Mulher branca sorrindo | Mulher branca sorrindo | Assimetria mamária: como resolver?

Assimetria mamária: como resolver?

A assimetria mamária afeta milhões de mulheres ao redor do mundo. Ela ocorre quando há grandes diferenças entre um seio e outro. As desigualdades mais frequentes entre as mamas são:

  • tamanho;
  • formato;
  • posição das aréolas;
  • peso.
  • A diferença entre as mamas é corrigida, na maior parte dos casos, com a realização de cirurgia de correção mamária, também chamada de mamoplastia.

    Como identificar a assimetria mamária?

    O grau de assimetria mamária é avaliado pelo médico de acordo com a paciente. Diferenças de mais de 2 cm entre um seio e outro já são perceptíveis e devem ser levadas em consideração. Para isso, o médico avalia a altura e o diâmetro das mamas, a distância entre as aréolas e o sulco inframamário.

    Causas da assimetria mamária

    É normal que uma parte do corpo seja diferente da outra, no caso das mamas não é diferente. Essa desigualdade pode ocorrer por cinco razões principais:

    • diferenças normais do corpo;
    • alteração hormonal;
    • nódulos;
    • câncer;
    • deficiência da musculatura torácica.

    Assimetria mamária pode ser sinal de câncer?

    Segundo um estudo realizado pela Universidade de Liverpool, na Grã-Bretanha, mulheres que possuem um seio maior que o outro são mais propensas a terem câncer de mama. De acordo com a pesquisa, para cada 100 ml de divergência entre as mamas, aumentam em 50% as chances de a mulher desenvolver esse tipo de câncer.

    Tipos de correção mamária

    As correções mamárias podem ser feitas por meio da colocação de implantes de silicone, da diminuição de uma das mamas, de procedimento cirúrgico para levantar os seios ou ainda pela combinação de diferentes técnicas para obtenção de um resultado melhor.

    Assimetria mamária em homens

    Nos homens, a assimetria mamária está relacionada à ginecomastia, que é o desenvolvimento excessivo de tecido na região mamária masculina. A condição é causada por variações hormonais, e leva ao desenvolvimento de volumes geralmente assimétricos nas mamas, o que pode provocar grandes transtornos psicológicos e baixa autoestima, sobretudo, em adolescentes. Apenas a avaliação médica pode determinar o melhor tratamento, de acordo com a causa: se o transtorno ocorrer durante a puberdade, o mais indicado é aguardar até dois anos para a regressão espontânea. Em outros casos, pode ser preciso intervenção cirúrgica.

    Correção de assimetria mamária com a Dra. Beatriz Medina

    Para diagnosticar a ocorrência de assimetria mamária e avaliar a necessidade de cirurgia, procure um médico especialista em cirurgia plástica. A Dra. Beatriz Medina é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e realiza cirurgia plástica no Rio de Janeiro. Agende uma avaliação em seu consultório na Barra da Tijuca ou em Niterói.

    Deixe um comentário!

    0 Comentários

    Comente

Whatsapp